Nosso Santuário

 

Os frades franciscanos chegaram em São Paulo no ano de 1639 e se instalaram originalmente onde hoje se localiza a Igreja de Santo Antônio na praça do Patriarca. Pouco tempo depois, receberam como doação um terreno localizado numa das bordas da colina onde foi fundada a vila de São Paulo de Piratininga. Neste local, no atual largo de São Francisco, construíram o seu convento, inaugurado em 17 de setembro de 1647.

A igreja conventual foi modificada a partir de meados do século XVIII, o que lhe conferiu a atual forma barroca. Destacam-se as “estrelas” do coro e os móveis da sacristia talhados em madeira de jacarandá. Nos finais do século XIX (1880) a igreja e convento anexo foram muito danificados num incêndio. Nessa época instalou-se no altar-mor um novo retábulo, trazido da Alemanha. O teto curvo de madeira da nave tem pinturas sobre a vida de São Francisco, datadas de 1953, refeitas a partir das destruídas em 1880.

Em 1676, os irmãos da Ordem Terceira de São Francisco, hoje Ordem Franciscana Secular, iniciaram a construção de uma capela para eles no interior da igreja franciscana. Essa capela foi subsequentemente ampliada até transformar-se numa igreja independente, com a fachada adossada à igreja conventual. Foi inaugurada em 1787.

Em 1827/28, os franciscanos, por requerimento do governo imperial “cederam” seu convento para a instalação da Academia de Ciências Sociais e Jurídicas, atualmente Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. O convento colonial foi demolido em 1933 para a construção de uma nova sede, em estilo neocolonial, da autoria de Ricardo Severo.

Atualmente os franciscanos mantem nesta igreja diversas pastorais, atendimento de confissões e missas diariamente, bem como, um grande trabalho social junto aos mais pobres e abandonados da cidade de São Paulo.